PARA COMEÇAR A BORDAR

Se você leu o texto anterior e decidiu começar a fazer algo com as mãos, e decidiu começar pelo bordado livre, esse texto é para você.

Reuni toda a informação que eu acho básica para você já conseguir colocar a mão na massa assim que acabar de ler – ou depois de uma passadinha rápida na loja de materiais.

Para começar a bordar você precisa de: um pedacinho de tecido, linha, agulha, e, se quiser, um bastidor.

> UM PEDACINHO DE TECIDO

Podemos dividir os tecidos em dois grupos básicos: os chamados tecidos planos, que não esticam; e os tecidos de malha ou com stretch, que esticam. No primeiro grupo, a trama permanece “rígida” enquanto você manipula o tecido, e eles são bem mais fáceis de bordar; no segundo grupo, o tecido estica ao ser manipulado, e bordar sobre ele pode ser como jogar futebol em um campo onde o chão se mexe – não é impossível, mas é mais difícil.

A exceção a isso é o linho: sua trama é plana, mas ele é muito maleável e um pouquinho  instável. O linho é o melhor tecido para bordar, é o que faz o bordado ficar mais bonito e o que agrega mais valor a uma peça; mas também é o mais difícil de bordar, então, não comece por ele.

Tecidos planos ótimos para começar a bordar: tricoline, americano cru (ou algodão cru) e chita. Eu recomendo você começar com o americano cru ou o tricoline branco.

Você também pode começar a bordar em uma camiseta que você não usar mais; mesmo sendo malha – mais difícil – é melhor que bordar uma meia, por exemplo. E melhor que ficar parada.

Existem também os tecidos para bordado vendidos nas lojas de artesanato, como o etamine e a juta. Mas eles são mais indicados para os trabalhos em ponto cruz, ou para técnicas alternativas, e não funcionam muito bem para o bordado livre.

>> LINHA

A linha acompanha a espessura do tecido. Tecido mais fino / linha mais fina; tecido mais grosso / linha mais grossa (experimentações são sempre bem vindas, mas lembre-se que você está apenas começando).

Para bordar no americano cru ou tricoline (ou na camiseta), você pode usar linha de costura, se for o que você tem à mão – não é o material perfeito, mas funciona.

E você pode usar linha para bordar, que é vendida em formato meada (mais fina) ou “novelinho” (média, meio grossinha mas não muito). O resultado da linha de novelinho é mais rústico; já a linha de meada permite que você comece com todos os fios (a meada tem sempre 6 fios fininhos), e vá diminuindo à medida que avança, atingindo um resultado mais refinado.

Para assistir a um tutorial de como separar o fio da meada, clique aqui :)

Para começar, basta uma cor. Ou no máximo três, para você ter tons diferentes e ver como isso funciona. Deixe para levar todas as cores da loja quando você já tiver decidido que o bordado entrou na sua vida de vez ;)

Para começar, prefira as linhas de algodão, e fuja, por enquanto, das de poliéster. Em hipótese nenhuma comece a bordar com linhas metalizadas: é pedir para ficar frustrada.

>>> AGULHA

A agulha acompanha a espessura da linha.

Se você consegue passar a linha super fina na agulha mais grossa, isso não parece um grande problema. Mas o que acontece é que uma agulha mais grossa vai abrir um buraco maior no tecido, e quando a linha passar por esse buraco bem maior que ela, vai ficar solta e o ponto não vai funcionar.

Se você tem linha de costura em casa, provavelmente você tem uma agulha que tem um bom tamanho para ela. Mas se for comprar, faça o seguinte: peça para a vendedora uma agulha que combine com a linha que você vai usar para bordar. Se for linha de meada, você pode comprar uma agulha maior e uma menor, para usar com mais e com menos fios; se for novelinho, pode comprar apenas um tamanho médio.

Atenção: compre agulhas PARA COSTURA. As agulhas para bordado são mais indicadas para os trabalhos de ponto cruz, pois têm a ponta grossa e arredondada. Para o bordado livre, as de costura funcionam muito melhor. E evite comprar aquele agulheiro cheio de agulhas de vários tamanhos: elas geralmente têm a cabeça menor e são de baixa qualidade. Peça agulhas avulsas pelo número:

Novelinho: números 6 ou 7

Meada: número 6 para mais fios, e 8 ou 9 para menos fios.  

>>>> BASTIDOR

O uso do bastidor é totalmente opcional. Algumas pessoas só conseguem bordar com ele; outras, só conseguem sem.

Para descobrir a qual grupo você pertence, teste antes com um bastidor caseiro, muito fácil e barato de fazer. Se você gostar, daí compra um bastidor mais bacana.

Para assistir a um tutorial de como fazer um bastidor caseiro bem fácil, clique aqui :)

Para comprar: escolha um do tamanho da palma da sua mão aberta – você precisa conseguir alcançar o centro do bastidor com facilidade. Prefira os de tarraxa, que você pode ajustar com mais facilidade, e melhor, o tecido; e prefira os de bambu. No comércio (inclusive virtual) você vai encontrar milhares de opções, mas para não se perder, siga essa indicação: um bastidor de bambu, com tarraxa, do tamanho aproximado da palma da sua mão. “E se meu bordado for bem grande, não preciso de um bastidor grande?” Prefira começar com trabalhos menores, vai dar mais certo; mas para bordados grandes – imagine uma colcha – o que fazemos é deslocar o bastidor pelo desenho.

**********

Para começar a bordar você precisa de: um pedacinho de tecido, linha, agulha, e, se quiser, um bastidor. E também de uma ideia transformada em desenho: um risco.

Transferir um desenho impresso para um tecido não é difícil, mas pode ser meio complicado para quem quer apenas começar.

Então uma alternativa é você construir um desenho mais abstrato a partir do uso de pequenos objetos como molde: um rolinho de durex, um carretel de linha vazio, uma plaquinha, uma caixinha. Ou réguas variadas. Ou ainda, recortar formas quaisquer em um papel mais duro e usá-las como molde para riscar.

Faça primeiro um rascunho no papel: vá riscando ao redor dos objetos ou moldes, e vá fazendo riscos com a régua, sobrepondo ou fazendo separado. Crie áreas com o traço solto e áreas para preencher.

Para assistir a um tutorial de 30 segundos que mostra toda essa operação que acabei de explicar, clique aqui :)

E por último, mas não menos importante: COM QUAIS PONTOS BORDAR?

Se depois desse texto caprichado você ainda tinha alguma dúvida do tamanho do galho que a Bordadologia quebra para você, aí vai a prova final:

CLIQUE AQUI E ACESSE O NOSSO BORDACIONÁRIO, O SEU GUIA DE PONTOS DO BORDADO LIVRE!

AMIGA, É PARA COMEÇAR A BORDAR AGORA!

CORRE LÁ E DEPOIS VOLTA AQUI PARA ME CONTAR SE DEU CERTO! :)

(se você achou tudo isso um pouco complicado para fazer sozinha, e quer alguém te levando pela mão, VEM FAZER AULA DE BORDADO!)