EDITORIAL

FUTURO EM CHAMAS

“Um povo que não conhece sua História está condenado a repetí-la”

Não conhecemos o autor dessa frase, mas ela é constantemente citada pelo escritor Eduardo Bueno em seus vídeos sobre História Brasileira.

Estamos absolutamente tristes com o incêndio que destruiu quase totalmente o Museu Nacional do Rio de Janeiro. Seu acervo era riquíssimo para várias áreas da pesquisa científica – História, Biologia, Astronomia, Artes Visuais, Antropologia, Sociologia – e o palácio onde funcionava era um documento vivo do Brasil Império. A PERDA É IRRECUPERÁVEL, não importa o quanto governantes desgovernados digam o contrário.

Não bastasse essa tragédia em si, o que nos desespera é observar o quanto todas as instituições culturais públicas do nosso país estão sob a mesma ameaça. Embora os museus privados ajudem imensamente neste cenário de absurdo descaso com a produção e memória da arte e cultura brasileiras, é imprescindível que existam acervos públicos, e políticas para mantê-los a salvo dos desastres físicos e da ruína institucional.

A área da Cultura no Brasil pede socorro basicamente desde que foi criada.

Um país sem capital cultural e memória está condenado à barbarie teleguiada. A frase é nossa, a decepção é nossa, o medo do futuro é nosso.

Agradecemos pela atenção dispensada a esse pequeno desabafo. BORDADOLOGIA torce para que algum dia tudo isso seja apenas um sonho ruim do qual finalmente acordamos.

Advertisements